[ARTIGO] Teor de óleo e perfil de ácidos graxos durante o desenvolvimento de frutos de macaúba

31/08/2017 - 13:37

AUTORES: Maria Manuela H. Venancio (UNICAMP/IAC,mmanuela.venancio@gmail.com), Paulo Mazzafera (UNICAMP,pmazza@unicamp.br), Cássia Limonta Carvalho (IAC, climonta@iac.sp.gov.br), Lisandra Herica Silveira (IAC, lisandra.herica@gmail.com), Joaquim Adelino Azevedo Filho (IAC, joaquimadelino@apta.sp.gov.br), Bárbara Regina Bazzo (UNICAMP/IAC, barbarareginabazzo@gmail.com) e Carlos Augusto Colombo (IAC,ccolombo@iac.sp.gov.br)

RESUMO: A macaúba (Acrocomia aculeata) é uma palmeira nativa de florestas tropicais, distribuída por todo continente Americano, pioneira e que cresce naturalmente formando grandes populações em áreas degradadas ou intactas e encontrada em diferentes ecossistemas. Ela produz frutos oleaginosos em cachos maciços que podem pesar até 25 kg,. Apresenta interesse significativo do ponto de vista ecológico e socioeconômico, devido à grande produção de óleo em seus frutos. O óleo tem alta demanda nas indústrias farmacêutica, alimentícia e cosmética, além de seu potencial para produção de biodiesel, setor que está ganhando atenção com as recentes preocupações ambientais do uso do combustível fóssil, redução das emissões de gases do efeito estufa e procura por fontes de energia renováveis. O fruto da macaúba apresenta composição bioquímica bastante diversificada, sendo rico em óleo, que está concentrado no mesocarpo e endosperma. No mesocarpo o conteúdo pode ser superior a 70%, sendo o ácido oleico o principal componente. A concentração do óleo no endosperma é superior a 50%, sendo rico em ácidos graxos saturados de cadeia curta, especificamente ácido láurico, tornando-se matéria prima para fabricação de cosméticos e outros produtos de saponificação.Do óleo extraído do fruto também podem ser encontrados ácido palmítico, láurico, linoléico, mirístico, caprílico, palmitoléico, cáprico, esteárico e linolênico3. Dados de caracterização química de frutos coletados em populações de diferentes localidades têm mostrado ampla variação no teor e composição de ácidos graxos presentes no óleo, sobretudo da polpa. Assim, tanto para fins de aplicação tecnológica do óleo como para fins de seleção e melhoramento da espécie, o presente estudo visa identificar o conteúdo e a qualidade de óleo de frutos de macaúba, da polpa e amêndoa, na fase final de seu amadurecimento para mais bem compreender a fisiologia do desenvolvimento do fruto e oferecer subsídios para as atividades de colheita e pós-colheita dos frutos.

Trabalho Apresentado no 6° Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel e 9º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel.

Trabalho completo: Livro 1, p. 333

Por Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel

União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene - Ubrabio - Todos os direitos reservados

SCN Quadra 01 Bloco C - nº 85 - Sala 304, Edifício Brasília Trade Center - Brasília/DF

CEP.70711-902 - Telefone (61) 2104-4411 - E-mail: faleconosco@ubrabio.com.br

  • Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis
  • Embrapa
  • Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  • Ministério de Minas e Energia
  • Casa Civil
Redes sociais
  • Facebook
  • Flickr
  • Linkedin
  • Twitter
  • YouTube
Moringa Digital Clique e conheça